2016 - Clementina, cade você?

Desfile
14ª escola a desfilar | 09/02/16 | Estrada Intendente Magalhães
Resultado
2ª colocada no Grupo B (LIESB) com 269,3 pontos

FICHA TÉCNICA

Presidente
Raphaela Nascimento
Direção de Carnaval

John Michael

Autor do Enredo

Leandro Valente

Carnavalesco

Leandro Valente
Direção de Harmonia
Alfredo Dias
Direção de Bateria
Mestre Demétrius
Rainha de Bateria
Monique Rizzeto
1º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Joana Falcão e Emersom Faustoso
Responsável pela comissão de frente

Gilliard Pinheiro

Componentes

700

Alegorias

01 e 02 Tripés

Alas

16

 

SINOPSE DO ENREDO

Cantarolava desde menina, mas a vida dura por muito tempo não deixou meu canto embalar. Muita faxina fazia para meu pão poder ganhar. Ninava as crianças para o choro acalentar. Depois batucava na cozinha para eu não chorar! Mas batuque na cozinha, sinhá não quer. Por causa do batuque, eu queimei meu pé.

Morei em Mangueira, Oswaldo Cruz e Madureira. Um dia cantei alto e um moço importante eu fiz sorrir! Subi então aos palcos sem maldade e fui aplaudida aos 63 anos de idade. Deixei raiz e legado. Ser reconhecida era um sonho que não tinha nem como imaginar. Era como não ser dalí. Era como não ser de lá. De São Salvador ou terras de além-mar, solitária como um marinheiro só!

Cantei com vozes importantes e muito premiada eu fui. Mas nunca liguei para o luxo, pois do morro eu vim e na pobreza me criei. Minha vontade era a voz soltar. Errei, acertei e amei até quem não deveria amar! Com torresmos à milanesa e um copo de cerveja brindava a vida que não era brincadeira. No samba me reinventei e fiz o meu lar. Sambista me tornei com orgulho a bradar. Fui coroada rainha do partido alto, interpretei, criei e tive o meu lugar. No carnaval cantava jongos. Era batuque sem parar. Hoje, sou homenageada e vou para a folia vadiar! Quer me achar? É muito fácil, estou em todo lugar. Vou vadiar, vou vadiar... Ah, eu vou!

 

SAMBA DE ENREDO

compositores
Arlindo Neto , Lequinho, Junior Fionda, Pixulé, Tinga, Gabriel Martins, Zé Luiz Escafura, Anderson Lemos, Fadico e Igor Leal
intérprete
Marquinhos Silva

Eu vou cantarolar a noite inteira
dando um banho na tristeza
faço a festa começar
eu sou
Tradição, eu sou guerreira De Mangueira a Madureira
fiz meu samba ecoar
firmei partido lá na casa de sinhá
mas batuque na cozinha a sinhá não quis deixar
e quem diria fui aplaudida de pé
pelas asas de um anjo não perdi a minha fé

E eu venci… Marinho só…
e na tristeza eu dei um nó…
soltei a voz e cantei feliz!


Sonho meu…
vai buscar os meus amores
e também os dessabores que na vida encontrei
um brinde a felicidade
num gole pra matar essa saudade
hoje o partido é firmado na palma da mão
e meu nome lembrado em mais um refrão
dessa gente que ergue a bandeira do samba e da Tradição
vem ver a rainha brilhar
nas rodas da vida sambar
e eternamente o povo a cantar!

Cadê você menina?
De Jesus onde andará Clementina?
sei que você estará
aonde o samba firmar 
pra vadiar…

 
 
 
 

©2020 por GRES TRADIÇAO