1997 - Os Balangandãs

Desfile
9ª escola a desfilar | 08/02/97 | Passarela do Samba
Resultado
Campeã do Grupo A (AESCRJ) com 178 pontos

FICHA TÉCNICA

Presidente
Nésio Nascimento

Autor do Enredo

Orlando Júnior

Carnavalesco

Orlando Júnior
Direção de Bateria
Mestre Dacopê
Rainha de Bateria
Luma de Oliveira
1º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Danielle Nascimento e Julinho
Responsável pela comissão de frente

Roberto Lima e Getúlio Melo

Componentes

2.800

Alegorias

5

Alas

24

 

SINOPSE DO ENREDO

Ornamentos de prata  que os negros trazem pendentes na cintura em dias de festa, principalmente na festa do Senhor do Bonfim, 'e também chamado de Balanssancã, na Bahia onde o objeto se tornou popular. Quem não tem Balangandã não vai ao Bonfim, diz uma cantiga. Em alguns livros, em versos antigos aparece com outra grafia que trazem ritos, lendas, berenguendém e fazendas.

 

SAMBA DE ENREDO

compositores
Sandro Maneca e Taroba
intérprete
Edmilton di Bem

Ô Bahia... Os orixás
Que nos dêem muito ax
Sai pra lá o mal olhado
Tenho o meu corpo fechado
Uso figa de Guiné


Foram nossos ancestrais
Artesãos geniais
Trouxeram arte e cultura
Deixaram riquezas sem iguais
Da África misteriosa
Brincos, colares, pulseiras
Imagens de cera ... Anéis talismãs
Que beleza é fantástico
Ver as baianas
Enfeitadas a dançar
Cantarolando uma cantiga sem parar


Quem não tem Balangandãs
Não vai ao Bonfim
Quem mexe com o que não pode
Sai de mim


Mas uma pequena notável
Galgou a fama ... Cruzou fronteiras
Mostrando para o mundo a sua arte
E divulgando a cultura brasileira
Vestiu uma camisa listrada
Tocando pandeiro e saiu por aí
Hoje a Tradição balangandada
Nesta avenida colorida
Dá um lindo show de visual

Vendo ouro... Vendo prata
Bijuteria na minha mão é barata
Vai nessa onda ioiô,
Vem nesse embalo iaiá
Eu tenho tudo se quiser comprar
Um bracelete, um cordão...
Um chapeado legal
Eu vendo tudo nesse carnaval

 
 
 
 

©2020 por GRES TRADIÇAO