1987 - Sonhos de Natal

Desfile
2ª escola a desfilar | 27/02/87 | Passarela do Samba
Resultado
Vice-Campeã do Grupo 2 (AESCRJ) com 203 pontos

FICHA TÉCNICA

Presidente
Nésio Nascimento

Autor do Enredo

Paulino Espirito Santo, Edmundo Braga, Maria Augusta, Lícia Lacerda, Rosa Magalhães, Viriato Ferreira

Carnavalesco

Paulino Espirito Santo, Edmundo Braga, Maria Augusta, Lícia Lacerda, Rosa Magalhães, Viriato Ferreira
Direção de Harmonia
Jorge Paes Leme
Direção de Bateria
Mestre Fornalha
1º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Regina e Paulo Roberto
Responsável pela comissão de frente

José Carlos Machado + Abertura de Jorge Paes Leme e Vilma Nascimento

Componentes

3.500

Alegorias

10

Alas

25

 

SAMBA DE ENREDO

compositores
João Nogueira e Paulo César Pinheiro
intérprete
Gilson Candanga

Vem chegando a Tradição
Benzendo o chão da passarela
E pra falar nos Sonhos de Natal
Pedimos licença a nossa querida Portela
Entre Oswaldo Cruz e Madureira
Ele pôs sua bandeira
E fez seu estado maior


Senhor da fé e patrono da alegria
Samba, jogo e valentia
Comandou com um braço só


Com um braço só
Com um braço só, já dei tapa em vagabundo
Dei a volta pelo mundo mas também já fiz o bem
Com um braço só, vou viver a vida inteira
Mandando em Madureira e em outras terras também
Oh Natal
Oh Natal que saudade
Foram dezenove Carnavais
Toda cidade era felicidade
Sonhos bonitos que já não voltam mais
Vem e guia seus filhos
No derradeiro sonho do seu coração
Volta pra avenida iluminada
Mostra pra rapaziada
Que é a Tradição


Chegou, chegou mas só vem quem quer
Quem é sonhador, como a gente é
Chegou, chegou pra dizer no pé
Respeitando os sonhos do senhor da fé

 

SINOPSE

Sonhos de Natal


Com um braço fiz o que você não faria, acho que era covardia eu ter dois braços também. Natal senhor de fé, dono do bicho, amigo dos homens. Águia na cabeça, borboleta, cavalo, dezena, centena, milhar, invertido pelos 7, jogo dos tostões, lista no papo que a cana já vem.


O Jogo do Bicho tem rígidos e misteriosos códigos de honra, nas fezinhas diárias de onde sai o sustento de famílias e ajuda dos necessitados. Os Donos dos pontos encontraram nas escolas de samba um lugar receptivo a suas aspirações sociais e Natal tornou-se o primeiro benfeitor de escola de samba e como todo benfeitor queria ver o sucesso da sua protegida, e Natal sonhou em dar-lhe títulos de Campeã, e esses sonhos se tornaram realidade, não uma, ou duas vezes, mas dezenove vezes.


Natal morreu, mas lá do céu continuou a sonhar, mesmo porque sonhar do céu é até mais fácil, e sonhou em ver na passarela outra escola azul e branca desfilando na avenida e mais uma vez o sonho de Natal se torna realidade.


Já vai a Tradição, toda prosa se mostrando para o patrono sonhador.

 
 
 
 

©2020 por GRES TRADIÇAO