1995 - Gira roda, roda gira

Desfile
7ª escola a desfilar | 26/02/95 | Passarela do Samba
Resultado
13ª colocada no Grupo Especial (LIESA) com 284 pontos

FICHA TÉCNICA

Presidente
Nésio Nascimento

Autor do Enredo

Lícia Lacerda

Carnavalesco

Lícia Lacerda
Direção de Harmonia
Jorge Paes Leme
Direção de Bateria
Mestre Dacopê
1º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Danielle Nascimento e Julinho

2º casal de mestre-sala e porta-bandeira

Lúcia e Vinícius
Responsável pela comissão de frente
Roberto Lima

Componentes

4.500

Alegorias

9

Alas

24

 

SAMBA DE ENREDO

compositores
Lourenço, Jurandir, Jorge Makumbba, Marcos Glorioso, J. Nascimento e Lima
intérprete
Edmilton di Bem

Vamos girar
Na velocidade da emoção
Roda, rodar
Neste carnaval com a Tradição
Que vem mostrar
O giro de uma imaginação
Que fez mudar
O curso da civilização
Trazendo facilidade pra toda humanidade
Melhor jeito de viver
Oleiro faz a forma do barro
Engrenagem, o movimento, e moinho faz moer
Telefono pra comunicar
Marco o tempo no relógio, que não pára de rodar

Eh! Eh! Baiana, baiana roda
Menina roda o bambolê, ê, ê
Roda babá
O carrinho do bebê


Feixes de faróis
Sons estridentes de buzinas pelo ar, fom fom
Ronco de motores
A era sobre rodas a chegar
Já está fazendo um século
Que a pista se tornou uma paixão
De tantos estrangeiros e brasileiros
De taça na mão
Gira roda! Roda gira!
Acelera o coração
Pisa fundo na felicidade 
Mostra pro mundo a cena de um campeão

Acelera aí que eu quero ver
Na fórmula 1 o lema é vencer
Sem limites nem fronteiras
Vou zunir na passarela
Com a Tradição sacudindo essa galera

 

SINOPSE

GIRA RODA! RODA GIRA!

Carnavalesca: Lícia Lacerda


O desejo humano de facilitar e acelerar seu movimento e o de sua carga é tão antigo quanto o próprio homem. A partir da invenção da roda, tudo começa a girar em maior velocidade.

A roda, sem dúvida alguma, a mais importante e fundamental descoberta do homem, gira em 95 pela Marquês de Sapucaí no ritmo da TRADIÇAO.

O girar da roda melhorou a qualidade de vida, facilitando o transporte, a comunicação e o controle do tempo. São carros, moinhos telefones, relógios a serviço da humanidade.

A velocidade que a roda possibilita fascina o homem, ele quer superar seus próprios limites. Homem e roda tornam-se uma única identidade na corrida contra o tempo.


1ª PARTE: GIRA RODA!


A roda foi criada em um giro genial da imaginação por um desconhecido há mais de 5.000 anos, alterando o curso da civilização.

Antes do advento da roda, os homens da Idade da Pedra arrastavam sua carga sobre os troncos. O girar da roda foi para essas primeiras sociedades um instrumento inestimável para suas conquistas econômicas e políticas. As primeiras civilizações passam a se valer da roda tanto para seus altos propósitos guerreiros quanto para suas pequenas comodidades do dia a dia.

Sem a roda o homem não iria muito longe. Afinal, as três fontes de energia conhecidas, tração animal, água e vento, passaram a ser exploradas por esta simples peça. O progresso da humanidade gira em torno da roda que só parece simples porque existe.


2ª PARTE: GIRA! GIRA! MUNDO GIRA!


O mundo corre, gira, dá voltas sobre rodas. Não somente sobre as dos veículos, mas sobre as dos mais variados objetos.

A partir da Antigüidade o uso da roda foi se expandindo. São rodas de oleiro, de fiar, rodas d’água, engrenagens, roldanas, timões.

O tempo roda num instante, e a roda além de facilitar o trabalho, está a serviço do lazer. São os tempos modernos. A passeio, a trabalho, o mundo gira, o tempo dá voltas, e o homem não pode parar. A roda transforma a vida.


3ª PARTE: FON! FON!


Fon ! Fon ! E o som que anuncia a chegada do novo século, a buzina estridente das engenhocas sobre rodas. Entramos na era do automóvel.

A partir do momento em que foram desenvolvidos os primeiros motores, o grande sonho de liberdade de movimento dá sinais de ser concretizado. Não foram poucos os inventores dispostos a se dedicar ao desenvolvimento e popularização das máquinas sobre rodas. O automóvel se torna o mais acabado símbolo dos novos tempos, com suas marcas e modelos.

É este automóvel que surge entre explosões e buzinas, quebrando o silêncio das cidades brasileiras.


4ª PARTE: RODA GIRA! GIRA E ZUNE!


A roda favorece o homem a demonstrar sua coragem e satisfazer suas aspirações. Enfrentar o desconhecido, esticar seus limites, romper fronteiras, fazem parte da natural tendência humana à competições. O homem e a roda tornam-se um único ser, ágil e ligeiro, pronto a se auto-superar.

A primeira corrida de cano voltada para o julgamento da velocidade, ocorreu em 1895: “Paris – Bordeaux - Paris”. A partir de então, novas competições aconteceram. Para elas, estradas foram modificadas, surgiram pistas e autódromos. E esta paixão pela velocidade sobre quatro rodas, festeja em 1995, cem anos.

Ser recordista mundial de velocidade, é um sonho do ser humano, e este sonho levou o nome e brasileiros apaixonados pelo automobilismo, a girar pelo mundo.


GIRA RODA! RODA GIRA!


Lícia Lacerda

 
 
 
 

©2020 por GRES TRADIÇAO